Berços

Devo comprar alcofa, berço ou cama de grades? Uma das primeiras perguntas que assombram as futuras mamãs e as fazem dar voltas e mais voltas na cama, em noites já de si mal dormidas.

Como noutras questões, não há respostas certas, há apenas escolhas.

Um berço é uma peça única que fica como recordação para mais tarde. Pode e deve ser guardado e apenas emprestado a pessoas especiais. Afinal, é a primeira caminha do bebé!
Se os avós ainda guardarem o que serviu para os agora papás, o berço ganha um sentido diferente. Passa a simbolizar um ritual familiar, uma herança que serve de fio condutor ao amor dos pais pelos seus pequeninos.
Um berço fica muito bonito num quarto e, por isso, é fácil não resistirmos a arranjar um.

Mas há também todo o aspeto prático: um bebé dorme mais aconchegado num bercinho do que numa cama de grade. Sente-se mais confortável e deve, inclusive, ser acomodado a pequenos rolinhos (que podem ser toalhas ou pequenas mantas enroladas) que o façam sentir mais “apertado” e, por isso, mais seguro. Era assim que ele estava na barriga da mãe e o mundo pode agora parecer demasiado grande e assustador.

Por outro lado, se o quarto dos pais não for espaçoso, o berço pode ser a opção certa para o bebé dormir junto à mamã, sem causar muita confusão na circulação dentro do quarto. Nalguns casos, é mesmo a única solução para aí caber uma cama de bebé.

No entanto, os berços devem ser largos e compridos, de forma a que os bebés lá possam dormir o máximo de tempo possível.

Há muitos berços com rodas que dão um jeitão! Podemos andar com eles pela casa, de modo a que o bebé se vá habituando aos barulhos e movimentos da família. Desta forma, estão também bem vigiados.

No caso das alcofas adaptadas a um carrinho, esta função também pode ser aproveitada.
Porém, alguns estudos alertam para o fato das alcofas poderem ser responsáveis pela morte súbita e os bebés apenas lá deverem dormir quando estão a ser vigiados por alguém.
Quando os pais optam pela alcofa, devem escolher uma que seja espaçosa e arejada, para que este risco não exista.

O berço dura pouco tempo. Por volta dos quatro meses, o bebé deve mudar para a cama de grades. Não só porque começa a ficar apertado no bercinho, mas também porque, à medida que se aprende a virar e movimentar-se com maior facilidade, o fato de não ter proteções laterais, pode levar a uma queda perigosa.

Por esta razão, muitos pais preferem comprar logo uma cama de grades.
Para que os pequenitos não se sintam tão perdidos e não se deixem deslizar para dentro dos lençóis, os pais devem “encurtar” a cama. É o chamado “fazer a cama à espanhola”. Este truque consiste em fazer a cama com os lençóis dobrados, i.e., fazer meia cama.
Também se pode enrolar uma mantinha ou uma toalha turca a meio da cama que funcione como barreira para ele não descer. Outra solução é vesti-lo com um “saco-cama”. Mas, se for um bebé que goste de ter os movimentos soltos, não vai achar grande piada!!
Os bebés, assim, têm a sensação de estar numa cama mais pequena e sentem-se mais aconchegados e seguros.
Porém, a roupa de cama nunca deve estar presa.

Como os colchões das camas de grades costumam ser um pouco duros, colocar uma mantinha ou um edredon fino por baixo dos lençóis, faz com que o bebé durma como se estivesse nas nuvens.:)

Berço, alcofa ou cama de grades? A resposta depende dos gostos, necessidades e possibilidades dos pais. O importante é que a caminha onde o bebé vai dormir seja segura e confortável, para que durma bem e deixe os pais dormirem!!!:))


Comments are closed.